Kit segurança: 5 melhores sistemas de alarme residencial

veja os melhores tipos de alarmes residenciais que existem

Poucas sensações são tão boas quanto estar em segurança na própria casa. E isso não é vantagem só de quem mora em condomínio. Dentre os vários tipos de sistemas de alarme residencial, um deles combina com o que você precisa. 

Se este é um assunto que gera dúvidas, é só continuar a leitura do artigo para entender como os sistemas de alarme residencial funcionam e escolher o que você mais gostar.

Leia também:

– Disjuntor de ar-condicionado: O segredo para dimensionar BTUS

Por que investir em sistemas de alarme residencial?

A resposta é óbvia: para evitar assaltos e invasões. Até aí ok. Mas como os sistemas de alarme residencial podem realmente garantir isso?

A primeira coisa que se precisa ter em mente é que a sua casa não pode ser um alvo fácil. E quando ela está equipada com itens de segurança, a execução de um possível plano criminoso fica mais complexa. 

Todo e qualquer sistema vai atuar de modo preventivo a situações perigosas e alertar caso algo saia da normalidade. Por isso a importância de haver sinalização por meio de placas, sirenes, entre outros dispositivos que ajudem a inibir as tentativas de roubos.

Tudo isso com a vantagem do valor de investimento: ter um alarme em casa sai mais em conta que contratar uma empresa de vigilância.

O que os sistemas de alarme residencial têm em comum?

 

Os modelos comercializados nacionalmente são diversos, no entanto eles possuem três componentes em comum, que são:

Unidade de controle local (PCU): central que vai processar as informações obtidas com os sensores. Dependendo do dado coletado, ela pode emitir um alerta;

Sensores: para detectar movimentação. Eles fazem uma varredura na área determinada buscando qualquer mudança de vibração;

Dispositivo de alerta: com sons e luzes para denunciar eventos anormais.

5 sistemas de alarme residencial

Conheça agora os tipos de alarme para a sua casa que estão disponíveis no mercado nacional. Veja como cada um funciona.

1. Sensores magnéticos

Eles servem para detectar quando janelas, portas e portões são abertos indevidamente, como um imã que mantém cerrado o contato. Quando há a abertura, esse contato abre e o alarme é liberado. Os sensores magnéticos podem ser de três tipos:

  1. Metálicos: mais resistente e pode ser utilizado em portas de enrolar e portões pesados;
  2. Embutidos: recomendado para janelas e portas de madeira;
  3. Aparentes: indicado para janelas e portas de vidro.

2. Sensores de movimento

Como o próprio nome sugere, sistemas de alarme residencial com sensores de movimento vão fazer varreduras constantes no ambiente. Se identificada a presença de indivíduos ou atividade suspeita, ele é disparado. Há dois tipos de sensores:

  1. Passivo: lê as variações sem emitir luz infravermelha;
  2. Ativo: tem um receptor e um transmissor. Ele emite feixes de luz infravermelha que detectam transmissão de calor corporal. É comumente  instalado em porta de elevadores.

3. Sensor de incêndio

Ele detecta fumaça ou calor excessivo que indique início de incêndio. Sinais são enviados para a unidade de controle e se manifestam com aviso visual e/ou sonoro para indicar que a situação está ocorrendo.

4. Quebra vidro

Este tipo de alarme avisa à central de controle quando portas e janelas de vidro são quebradas e é comumente combinado com os alarmes de sensores magnéticos.

Ele pode funcionar de duas formas diferentes. Na primeira, é com tecnologia acústica, detectando o som de vidro sendo quebrado. Na segunda, é por meio de choque, quando o dispositivo sente a vibração causada pela quebra do vidro. 

5. Infravermelho

um tipo de alarme com sensor ifravermelho é capaz de detectar a presença de terceiros

Por meio do calor corporal, a presença de um indivíduo é detectada. Quando há essa alteração na temperatura, o sinal de anormalidade é enviado liberando o alarme. 

Geralmente o infravermelho é indicado para ambientes internos, perto de portas e janelas. 

Existem outras subcategorias deste tipo, como o microondas e infravermelho passivo, que contam com o efeito doppler, que emite pulsos e analisa os sinais para identificar movimentos corporais.

Tem também o infravermelho ativo, conhecido como sensor de barreira. Ele cria ondas luminosas entre dois pontos para detectar invasões, sendo recomendada a instalação em muros. 

O alarme pet identifica pequenos corpos, com base no peso e sem captar movimentos próximos ao chão. Há versões modernas que rastreiam animais de até 45 quilos e podem diferenciá-los de pessoas, evitando o disparo acidental. 

Já os sensores de teto têm alcance de 360 graus. A área de cobertura vai depender da altura do pé direito da casa e é mais indicado para ambientes internos.

Gostou do nosso conteúdo? Com ele você viu que os sistemas de alarme residencial são equipamentos essenciais para a segurança da sua casa e nós te apresentamos 5 tipos disponíveis no mercado. Não esqueça de contratar uma empresa séria para fazer a instalação e manutenção.

E já que estamos falando de melhorias para o lar, que tal baixar gratuitamente nosso material sobre energia solar? É só clicar no banner para ter acesso.

Gostou? Compartilhe

Confira outros

energia sustentável
Energia Sustentável

Energia sustentável: o que fazer antes de investir?

A energia sustentável está cada vez mais em evidência devido à necessidade de reduzir a dependência de combustíveis fósseis e minimizar os impactos ambientais. Trata-se de fontes de energia que não se esgotam, como a solar, eólica e hidrelétrica. Investir nesse tipo de energia traz benefícios ambientais e econômicos, mas

Saiba mais »
aumento na conta de energia
Energia Elétrica

Aumento na conta de energia: Confira o reajuste!

Se você já levou um susto ao abrir sua conta de energia, não está sozinho. O aumento na conta de energia elétrica tem sido um assunto recorrente, deixando muitos consumidores preocupados e em busca de soluções para equilibrar o orçamento doméstico.  Por isso, vamos juntos entender os motivos por trás

Saiba mais »
Demanda contratada
Dicas

Demanda Contratada: Tudo o que você precisa saber

No mundo da energia, a “Demanda Contratada” é uma expressão que pode parecer complexa à primeira vista, mas entender seu significado e importância é crucial para qualquer consumidor ou empresa. Por conta disto, vamos te explicar o que é a Demanda Contratada, por que é importante e como você pode

Saiba mais »